Perguntas frequentes

FAQ

Falamos todos os dias com os profissionais da construção

Nesta rubrica, encontre as respostas a algumas das suas eventuais perguntas... Que tipo de acabamento escolher em função do meu ambiente? A utilização do inox garante que um produto não sofre alterações?

FAQ

  1. Que tipo de acabamento escolher em função do meu ambiente (classe de serviço) ?

    O acabamento do produto pode ser escolhido em função do ambiente no qual vai ser utilizado. O Eurocódigo define 3 classes de serviços que correspondem a ambientes de agressividade crescente. Propomos diferentes acabamentos para os nossos produtos adaptados a estas diferentes classes de serviço.

    Classes de serviço 1 : Corresponde a um ambiente interior com uma temperatura de 20 °C e uma humidade relativa do ar que só ultrapasse os 65% durante algumas semanas do ano. A humidade média na maior parte das madeiras resinosas é inferior a 12%. Exemplo: fixação de um barrote com a ajuda de um ETB no interior de um edifício.

    Classes de serviço 2 : Esta corresponde a um edifício fechado não aquecido (tipo carpintaria). Esta caraterizase por uma temperatura de 20 °C e uma humidade relativa do ar que só ultrapasse os 85% durante algumas semanas do ano. A humidade média na maior parte das madeiras resinosas é inferior a 20%. Exemplo: suportes de carpintaria do tipo SAE.

    Classes de serviço 3 : Esta corresponde a uma utilização exterior. São as condições climáticas que levam a uma humidade superior à da classe de serviço 2. A humidade média na maior parte das madeiras resinosas é superior a 20%. Exemplo: Pé de prumo PPJBT para cercas de jardim.

  2. Quais os conselhos recomendados para a utilização das suas peças em meio corrosivo ?

    O fenómeno da corrosão está associado a diversos fatores, como a humidade, o ar marítimo, o calor, a proximidade de agentes químicos corrosivos, os produtos de tratamento da madeira, metais incompatíveis... Este fenómeno afeta o conjunto dos nossos produtos com maior ou menor rapidez – desde alguns anos até várias décadas – consoante os fatores presentes.

    Os produtos Simpson Strong-Tie estão protegidos contra a corrosão, o tratamento ou o material utilizado, como o inox ou o alumínio, são conhecidos pela sua resistência. No nosso catálogo, irá encontrar o tratamento ou os materiais utilizados em cada uma das descrições dos nossos produtos. Procederam-se a ensaios de envelhecimento comparativo, mas estes não permitem definir uma previsão de longevidade dos produtos devido à variedade de fatores que poderão ser observados. 

    Conselhos para a conceção de montagens:

    1. Verificar a compatibilidade entre a composição dos produtos de tratamento da madeira e o material das peças de montagem,
    2. Evitar as montagens de inox e aços,
    3. Evitar as montagens não ventiladas em ambientes corrosivos,
    4. Contactar a Simpson Strong-Tie relativamente a todas as informações complementares.
  3. Poderiam fornecer-nos uma classificação dos diferentes acabamentos em termos de resistência à corrosão ?

    A classificação, por ordem crescente, de resistência é a seguinte :

    1. Peças em aço cromado ou eletrogalvanizado e em aço galvanizado em contínuo,
    2. Peças em aço galvanizado a quente por imersão,
    3. Peças em inox 304 e 316.
  4. Podem utilizar-se pregos zincados com peças de inox ?

    Não. Se a montagem for feita num ambiente húmido, o contacto entre os dois materiais desencadeia uma reação química que destrói o zinco.

  5. A utilização do inox garante que um produto não sofre alterações ?

    Não. Em determinados meios quentes e húmidos, na presença de cloro e de cloramina (por exemplo, nas piscinas cobertas), a utilização de inox é particularmente desaconselhada. A resistência à corrosão do inox deve-se, de facto, à formação de uma camada protetora na superfície que impede o oxigénio de penetrar no aço, uma das principais causas da formação de ferrugem. Esta camada, denominada “passivação”, consegue regenerar-se naturalmente na maioria das atmosferas. Contudo, existem exceções. A piscina interior é uma destas exceções, uma vez que concentra na sua atmosfera 4 fatores:

    • Uma temperatura quente,
    • Uma elevada taxa de humidade, 
    • Apresença de cloro,
    • A presença de cloramina.

    Estas condições impedem a regeneração da passivação: o inox fica, então, vulnerável.

  6. Fabricam produtos especiais ?

    Sim, os nossos recursos técnicos e as nossas capacidades de fabrico permitem-nos responder às exigências de peças não padrão.

  7. Quais são as diferentes opções propostas para os fabricos especiais ?

    Pode escolher o tipo de aço (S235JR, Inox 304L ou Inox 316L), a espessura e o diâmetro das perfurações. Tanto podemos soldar as peças manualmente (TIG/MIG), como utilizar um robô para as grandes produções. A dobragem pode ser manual ou automática e o cliente pode optar entre diversos acabamentos: galvanização, eletrogalvanização, cromagem, epóxi ou antiferrugem.

  8. Como respondem a uma encomenda de fabrico especial ?

    Trabalhamos com base num plano fornecido pelos seus serviços. Pode transferir online um formulário de encomenda de fabrico especial na rubrica “Peças especiais” ou contactar diretamente o nosso responsável de fábrica através do número +33 2 51 28 44 00.

  9. Qual é a diferença entre ancoragem mecânica e química?

    A ancoragem mecânica : na sua expansão ou colocação em carga, a ancoragem exerce um esforço sobre uma zona do betão denominada “cone de restrição”; uma primeira compressão surge no momento do aperto e uma segunda no momento da colocação em carga.

    A ancoragem química : esta ancoragem não necessita de expansão para se fixar. O “cone de restrição” surge apenas na colocação em carga. O cone de arrancamento é, portanto, mais estreito e permite trabalhar nos entre-eixos e nas distâncias na extremidade mais baixa.

  10. A que corresponde a designação S250GD + Z275 que carateriza a matéria utilizada no conjunto das vossas conexões ?

    O nome da matéria utilizada refere-se à norma NF EN 10326 de janeiro de 2005. Esta informa-nos sobre dois pontos :

    • S250GD: é a capacidade de enformação a frio das chapas. De acordo com a norma, esta chapa é recomendada para a dobragem e o perfilamento,
    • Z275: é a classe de galvanização utilizada (Z = Revestimento em zinco e 275 = Massa de revestimento de 275 g/m² para o conjunto das 2 superfícies, o que corresponde a uma espessura de, aproximadamente, 19,5 mícrones por superfície).
  11. A que corresponde 1 kN ?

    A cerca de 100 kg. De facto, para obter a conversão força/peso, é necessário aplicar a fórmula F=MxG, onde F é a força Newton, M o peso em quilos e G a aceleração terrestre em m/s² (G=9,81 m/s²).

  12. O que é o contraventamento ?

    O contraventamento estabiliza a carpintaria contra os efeitos da força, causados pelo vento, aplicada sobre as empenas e que é exercida paralelamente à cumeeira. Os elementos de contraventamento são efetuados por travessas em madeira.

  13. Para que serve um dispositivo antideformação ?

    Este evita a deformação dos elementos das asnas comprimidos pelo peso da cobertura e do teto. As abas do telhado, que estão sujeitas a grandes esforços axiais de compressão devido à sua baixa espessura, deformam-se lateralmente. Esta deformação denomina-se encurvatura. As ripas, por si só, não conseguem garantir o papel da antideformação. A fita de cintagem assume a totalidade dos esforços de deformação: esta pode ser fixada por cima das empenas, por baixo das ripas.

  14. Os produtos Simpson Strong-Tie limitam-se às utilizações descritas nos catálogos técnicos e no site de Internet ?

    Não, dentro dos limites das cargas admissíveis, estes podem ser usados em todas as construções que possa considerar.

  15. Quais são as vantagens do sistema Quik Drive®?

    • Fiabilidade e ganho de tempo na obra
    • Ergonomia e conforto de aparafusamento em pé
    • Leveza e resistência do sistema
    • Não se perdem parafusos
  16. O que contém a gama Quik Drive®?

    A gama Quik Drive® é constituída pelos parafusos em fila Quik Drive® e pelas ferramentas de aparafusamento.

  17. Como é que posso transformar a minha aparafusadora num sistema de aparafusamento Quik Drive®?

    Os carregadores Quik Drive são compatíveis com a maior parte das aparafusadoras basculantes. Consulte a rubrica "Adaptar a Quik Drive à sua aparafusadora".

  18. Quais são os conhecimentos necessários para utilizar as ferramentas Quik Drive®?

    Não são necessários conhecimentos específicos. Leva menos de um minuto a aprender a utilizar o sistema Quik Drive®. Como em qualquer ferramenta, há técnicas melhores ou piores e a eficácia do utilizador aumenta com a prática. Consulte a rubrica "Guia de resolução de avarias" para resolver os problemas mais usuais.

  19. É fácil recarregar a fila de parafusos?

    Basta enfiar uma fila nova. Não é possível enganar-se no sentido, a fila é enfiada com a seta amarela para cima. Não é necessário regular. Enfie a fila até ao "clique" e retome o aparafusamento.

  20. É necessário lubrificar as ferramentas Quik Drive® Pro? Como é que se mantêm as ferramentas Quik Drive®?

    As ferramentas Quik Drive® Pro são fabricadas num material que contém PTFE (tetrafluoretileno), que entra na composição do Teflon®. Quando utiliza uma ferramenta Quik Drive®, o PTFE permite a lubrificação automática do carregador.
    No entanto, recomendamos-lhe que faça a manutenção regular do carregador Quik Drive® tirando-lhe o pó com um fole.
    Teflon® é uma marca e nome registados pela DuPont.

  21. Onde posso comprar ferramentas Quik Drive®?

    A Simpson Strong-Tie comercializa os seus produtos apenas na sua rede de revendedores. Para conhecer o nosso distribuidor mais próximo, contacte o serviço comercial da Simpson Strong-Tie em França.